Cirurgia Plástica de Redução de Mama

Dr. André Ferrão Vargas - Cirurgião Plástico - Rio de Janeiro - São Paulo - Porto Alegre

Cirurgia Plástica de Redução de Mama - Mamoplastia de Redução

REDUÇÃO DE MAMAS - MASTOPEXIA REDUTORA - MASTOPLASTIA REDUTORA RJ - SP - RS

Dr. André Ferrão Vargas é autor dos trabalhos de trabalhos científicos sobre cirurgia de redução, aumento e reconstrução mamária.

”Aspectos Psicológicos na Mamaplastia Redutora”.

Esse trabalho foi pubicado na Revista ATM-UFRGS e enfatiza a importância do contorno e forma adequada da mama para a autoestima e para a auto-imagem da mulher.

“Mamoplastia com Implante de Silicone: Refinamentos do Planejamento Cirúrgico e suas Implicações nos Resultados Pós-Operatórios”.

Esse trabalho foi apresentado no Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica de 2012 para o Concurso de Ascenção a Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Nesse concurso, Dr. André foi aprovado apresentando resultados de pós-operatório de suas cirurgias a uma banca examinadora de
Cirurgiões Plásticos.

“Breast Reconstruction after Burn Injury (Reconstrução de Mama após Queimadura)”.

Esse Trabalho foi apresentado na forma de vídeo no 20o Congresso da International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS) em Genebra- Suíça em 2012. Nesse trabalho, foram apresentadas técnicas de reconstrução mamária com uso de expansores de tecido.

“Reconstrução de Aréola com tecido Local”, apresentado no Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica.

Esse trabalho foi publicado na mais prestigiada revista de científica de Cirurgia Plástica “Plastic and Reconstructive Surgery” com o título Areola reconstruction with local tissue” e ainda na ACTA Cirúrgica “Brasileira com o título “Circular Local Skin Flap. A New Approach to Areola Reconstruction.“

Indicação Cirúrgica

Na puberdade, as glândulas mamárias se desenviolvem e conferem aumento de volume e aspecto rígido às mamas.

Durante o desenvolvimento, as mamas podem adquirir volume aumentado, além das proporções corporais, e podem causar desconfortos estéticos e psicológicos. Nos casos de hipertrofia mamária (aumento execessivo), o desconforto pode ser intenso e justificar uma cirurgia mamária ainda na adolescência.

Com o envelhecimento, há diminuição da quantidade do tecido glandular e aumento de tecido gorduroso, de consistênacia menos densa e mais amolecida. Há ainda perda de sustentação da pele por aumento da flacidez relacionada a diminuição e desorganização do colágeno. A flacidez mamária, pelo aspecto estrutural e pelo aspecto da pele, causa tendência à ptose (queda da mama).

A gravidez é um importante fator na aceleração da ptose mamária, seja pelo rápido aumento do volume mamário, seja pela distensão da pele que pode ocasionar estrias na pele. Inúmeras técnicas podem ser escolhidas para correção de ptoses (quedas) da mama. As resseccões de pele e glândula, bem com as
cicatrizes devem ser planejadas para cada caso.

Mamas com menor excesso de glândula e pele podem ser tratadas com menores ressecções e cicatrizes resultantes também menores. Nestes casos, as cicatrizes podem ser ao redor das arérolas ou verticais, na parte inferior das mamas.

Mamas com grandes volumes e grande excesso de pele devem ser tratadas com retiradas maiores de glândula e pele. Nesses casos, as cicatrizes resultantes são maiores, remetem à cicatriz ao redor da aréola e à vertical inferior e ainda à uma cicatriz horizontal na altura
do sulco mamário.

As mamas muito flácidas podem se beneficiar da colocação de implantes mamários para melhora de sua consistência e forma à critério da paciente e da indicação Médica.

A associação de implantes mamários às ressecções de glândula e pele é um refinamento interessante para o resultado das mamoplastia. Quando bem indicada, essa associação oferece resultados naturais e duradouros.

Anestesia
Anestesia geral

Internação
A paciente permanence em observação 24 horas.

Pós-Operatório
Nos primeiros 30 dias após a cirurgia, a paciente não deverá movimentar os braços amplamente, nem carregar peso. Ela poderá alimentar-se sozinha, e deve utilizar roupas abertas na parte da frente. Os pontos são retirados em 14 a 21 dias. Pode haver dor por 1-2 dias, a qual é controlada com analgésicos prescritos. Os curativos são realizados diariamente. O uso de um sutiã cirúrgico deve é prescrito 24 horas por dia durante 45-60 dias.

Resultado Definitivo
A modificação da forma é bastante evidente no pós-operatório imediato. Durante o primeiro mês, há a redução do edema (inchaço) e a cicatrização ganha força. Há modificações no aspecto e na forma das mamas de maneira importante durante os 3 primeiros meses. Como toda Cirurgia Plástica, o resultado definitivo aparece aos 6 meses, quando ocorre o amadurecimento das cicatrizes e a reacomodação da pele.

Cicatrizes
As cicatrizes resultantes de cirurgia plástica são planejadas para ficarem disfarçadas e, passarão por vários períodos de evolução, que didaticamente dividimos em três momentos diferentes.

Período Imediato: Segue até o 30° dia. A cicatriz apresenta aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.

Período Mediato: Segue do 30° dia até o 12° mês. Neste período, haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de "vermelho" para o "marrom", que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais. Nesse período, vários tratamentos podem ser realizados para melhorar o aspecto das cicatrizes, como uso de gel de silicone, placas de silicone, corticóides tópicos e infiltrações de corticóide na própria cicatriz, assim como a aplicação de laser sobre as cicatriz.

Período Tardio: Segue do 12° ao 18° mês. Neste período, a cicatriz começa a se tornar mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definiitivo da cirurgia deve ser feita após este período.

Cicatrizes Inestéticas, Hipertróficas e Queloideanas

As cicatrizes inestéticas, hipertróficas e queloideanas são passíveis de futuras revisôes cirúrgicas, caso venha a ser necessário. Isto acontece em decorrência de anomalias na evolução cicatricial que podem ocorrer em certas pacientes por causas genéticas ou mesmo inflamações ou infeção pós-operatória (causas menos comuns). A correção pode ser feita mediante uma pequena cirurgia sob anestesia local, após alguns meses de evolução. As cicatrizes queloideanas, podem ser tratadas com betaterapia para minimizar riscos de recorrência.

· Esta despretensiosa mensagem foi elaborada com intuito de informa-lo(a) a respeito da MANOPLASTIA DE AUMENTO. Através do Site da SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA na INTERNET (cirurgiaplastica.org.br) , você poderá obter maiores esclarecimentos, se assim o desejar.

 


- Compartilhar

Top
Close

Log In

Enter Remind password

Type your e-mail address and we'll send you new password

Submit